LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Ozzy entrevistado por Joel McIver site “The Quietus” parte II



Sua auto-biografia, “I am Ozzy”, acabou sendo uma boa fonte de informação, mesmo você tendo passado anos dizendo às pessoas que não conseguia se lembrar de nada…

Ozzy: O meu problema é memória recente. Não sei se é por causa da idade, mas eu passo o dia subindo e descendo escadas, pensando “pra que porra eu vim aqui mesmo?”. Provavelmente é uma combinação do acidente (Ozzy quase morreu numa queda de quadriciclo em 2004) e minha idade… Eu não sei.Sem Chris Ayes, o cara que fez o “ghostwriting” para mim, ainda estaria na porra da primeira página. Não consigo ficar sentado por cinco minutos. Enfim, chegamos no final e ele me disse que tinha material suficiente para outro livro, apesar de ter achado que ele estava brincando. Então provavelmente chamarei este outro livro de “I Am Still Ozzy”, ou algo do tipo.

Que conselhos você daria para as jovens bandas que querem viver de música?

Ozzy: Hoje em dia? Puta merda! Outro dia fiquei sabendo que as novas bandas, que acabaram de assinar com suas gravadoras, tiveram que abrir mão de parte de seus direitos autorais, parte do cachê dos shows, parte das concessões… Que porra está acontecendo? Eu não gostaria de estar numa destas bandas hoje em dia. É nojento como eles (as gravadoras) tratam as bandas.

Hoje em dia é mais duro para os músicos do que foi nos anos 60 e 70?

Ozzy: Com certeza. Eu posso dizer que uma coisa da qual tenho orgulho é que o Black Sabbath era quatro caras de Astom, Birminghan – que não é lá tão grande – que tiveram o sonho que se realizou, maior até do que esperávamos. Isto nunca acontecerá novamente, com o mercado de hoje em dia. Hoje você tem que ser uma porra de expert em computador também. Mudou muito. Alguém pode ser a maior coisa do mundo, e no mês seguinte você pensa “o que aconteceu com eles?”. Não existem mais lojas de disco – eles não vendem mais, por causa deste lance de downloads.

Como você aconselharia as novas bandas com relação ao empresariamento? O Sabbath foi roubado por seus empresários no início…

Ozzy: Sabe de uma coisa? Quando éramos jovens queríamos fazer sucesso, não sabíamos que porra estávamos assinando. Não sabíamos nada sobre direitos autorais e coisa do tipo. Agora você pode ir no computador e descobrir como fazer. Você pode abrir seu laptop e descobrir a porra da porcentagem de mercado que um empresário leva. Mas se você chegar lá, terá muita grana para ganhar – e no momento que a grana aparece, as pessoas ficam estranhas. Eu disse para Bill Ward (baterista do Sabbath) uma vez: “Independentemente de termos sido roubados, nosso estilo de vida melhorou 15 mil vezes mais do que era antes”. Nossa vida melhorou muito. Tivemos carros, casas, podemos sair e tomar uma cerveja quando queremos, podemos comprar nosso próprio maço de cigarros, ao invés de um para dividir entre os quatro.

Fonte entrevista em português Imprensa Rocker!

Um comentário:

Jefferson disse...

cara, curti teu blog, gosto muito de Ozzy, e realmente você possui um material caprichado aqui. Parabéns!

Já te adicionei à minha lista de blogs e já estou te seguindo...

Se quiser pode dar uma olhada no meu blog:

http://figurinhasdorock.blogspot.com/

seu comentáro será sempre muito bem vindo!

abraço!